Confira o raio-x do que mais caiu em provas entre 2009 a 2022 na Fuvest

Confira o raio-x do que mais caiu em provas entre 2009 a 2022 na Fuvest Interpretação de texto, trigonometria, história do Brasil, geopolítica e questões ambientais estão entre os principais assuntos.

A pouco mais de três meses da primeira fase da Fuvest, que em 2023 ocorre no dia 19 de novembro, o R7 pediu a professores do SAS Plataforma de Educação que selecionassem as matérias mais cobradas na prova, de todas as áreas do conhecimento. “A importância desse raio-X é otimizar o plano de estudos de cada estudante, evidenciando onde o aluno deve focar e seu tempo de dedicação ao longo do ano”, afirma Idelfranio Moreira, gerente de ensino e inovações educacionais da plataforma. Confira a seguir os assuntos mais citados na Fuvest de 2009 a 2022:

Ciências da Natureza, análise deIdelfranio Moreira

Física, química e biologia:
os conteúdos cobrados são bem parecidos com os do Exame Nacional do Ensino Médio. No geral, a prova da Fuvest traz contexto em suas questões, mas não possui textos tão longos como no Enem. Resolver questões da Fuvest auxilia o aluno, inclusive, a resolver as questões do Enem, pois ela possui um formato parecido, porém mais direto em relação ao conteúdo cobrado e com um nível de exigência de cálculo maior. Em física, aparecem mais questões de mecânica, eletricidade e termologia, enquanto em química prevalecem físico-química, química geral e química orgânica. Já em biologia, os assuntos que mais aparecem são ecologia, biologia animal e humana e genética

Linguagens e Códigos, , análise de Ademar Celedônio

Língua portuguesa: a USP tem o hábito de, por meio das obras e dos autores da literatura indicada, perguntar não somente sobre as características da escola literária, mas também indagar sobre a relação das obras com a história e os fatos — além de pontuar o estilo da escrita e das influências da teoria literária. Os textos podem ser literários ou não. Nas últimas edições, a Fuvest tem insistido em obras da literatura moderna e contemporânea, com destaque para as da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. A gramática explora longamente as relações sintáticas dos verbos e seus complementos, o emprego dos pronomes e as demais relações semânticas. É importante compreender a função de cada termo na oração ou nos textos selecionados. Não devemos simplificar esta análise pensando que os textos literários terão uma abordagem histórica e interpretativa enquanto os textos não literários cumprirão as regras gramaticais. Ambos os textos tentarão compreender a competência leitora, o domínio da arte literária (e muitas vezes de outras manifestações artísticas) e a bagagem gramatical, mais técnica, do candidato

Matemática, análise de Ademar Celedônio, diretor de ensino e inovações educacionais

Matemática: 
antes de tudo, é bom explicar um pouco o modelo das provas. Unicamp e Fuvest são vestibulares tradicionais e muito mais focados nos conteúdos do ensino médio. Já o Enem traz como proposta sempre incluir uma contextualização. Assim, o conteúdo mais próximo do nosso cotidiano se torna fácil de compreender, como noções de escala, razão, proporção, regra de três e porcentagem. Alguns outros assuntos, como trigonometria, que não cai tanto no Enem mas é mais cobrada em outras provas, são mais difíceis de contextualizar. No Enem, assuntos do ensino fundamental compõem de 60% a 65% do exame. Na Unicamp e na Fuvest, encontramos itens do ensino médio, apesar de termos pontos em comum entre as três provas, como o assunto das funções. Desde o ano passado, a prova da Fuvest tem uma tendência a ser mais interdisciplinar, o que a faz se aproximar, na primeira fase, cada vez mais do estilo do Enem

Relacionadas

Linguagens e Códigos, análise de Vinicius Beltrão, coordenador de Ensino e Inovações do SAS Plataforma de Educação

Inglês:o conhecimento em inglês como língua estrangeira é cobrado por meio de textos diversos e técnicos, que investigarão a capacidade de interpretação do candidato. Aqui o vestibulando pode esperar textos dos mais diversos assuntos: científicos das ciências da natureza, literários, publicitários, históricos etc.

Ciências Humanas, análise de Luiz Carlos, consultor pedagógico

História: 
na Fuvest, os cinco assuntos que mais caem na prova se referem ao mundo contemporâneo: o iluminismo, a história do Brasil com foco no sistema colonial, a Idade Moderna, destacando o Renascimento, a república oligarca, que são os primeiros 30 anos da república brasileira, e a Antiguidade Clássica, principalmente com as diferenças entre Esparta e Atenas — há muitas referências entre o modelo democrático de Atenas e o nosso modelo no Ocidente. Para todos esses conteúdos, o que os alunos precisam questionar é: quais são os marcos temporais desse tema? Pois esses serão os pontos condutores que levarão às respostas das perguntas da prova e facilitarão na hora de estudar

Ciências Humanas, análise de Luiz Carlos, Luiz Fay e Camile de Lucena, consultores pedagógicos

Geografia: 
tanto para a Unicamp quanto para a Fuvest, os mesmos temas são recorrentes. Falamos muito de geopolítica, questões ambientais, população e urbanização. Geopolítica trata do contexto atual, envolvendo guerras, globalização, relações comerciais e suas influências. Podemos esperar conteúdos da Guerra da Ucrânia e seus impactos na Europa, escassez da água e muito mais. Em clima, devem cair impactos e problemas ambientais como desmatamento, poluição, processos populacionais etc. Urbanização se relaciona muito com sociologia e economia urbana, falando de processos de modernização da sociedade e impactos ambientais. População traz reflexo demográfico, envelhecimento populacional (tema forte na Europa e na Índia), distribuição e estrutura da população. São temas que se entrelaçam muito entre si, mas a dica é sempre se manter informado, assistir a jornais e consumir informações para ampliar o conhecimento 

iências Humanas, análise de Luiz Carlos, consultor pedagógico

Filosofia e sociologia:
 no Enem, na Fuvest e na Unicamp, a temática de ética e justiça é amplamente abordada, assim como a filosofia antiga. Na filosofia contemporânea, temos os pensamentos iluministas sobre política e transformações econômicas. É importante ressaltar que, tanto para filosofia quanto para sociologia, a questão política está relacionada a uma sociedade sustentável, que promova o bem-estar dos indivíduos ao mesmo tempo em que discuta a igualdade, a ética e a justiça. Asociologia explora muito a relação do trabalho com a vida cotidiana e a organização social. A temática da diversidade da produção cultural pode questionar como os meios de comunicação lidam com a ideia de diversidade, justiça e sustentabilidade. Por fim, especialmente na Fuvest e Unicamp, os conteúdos de filosofia e sociologia se diluem entre as questões de história. Mais do que saber os conceitos sociológicos, a ideia é que o candidato tenha noção de suas aplicações na sociedade, especialmente o conceito de cidadania. Sobre as desigualdades sociais, é importante que os alunos estejam a par dos movimentos sociais que lutam em favor da diminuição dessas desigualdades e entender a historicidade de cada grupo, especialmente no Brasil.